HISTÓRICO E AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES.
Um edifício junto ao Memorial da América Latina construído na década de 50, funcionava a Litográfica Ypiranga ( Industria Gráfica ), com área construída é de 26.519,65 m2 , divididos em térreo e quatro pavimentos, foi escolhido para abrigar o novo Call Center da Porto Seguro Seguros.
Abaixo fotos do levantamento in loco, realizado antes do início do projeto e obra.
Fotos: Frederico Marques
​​​​​​​No térreo ficavam duas rotativas de grande porte da gráfica , nos demais pisos a área industrial e no último andar os escritórios. Sua estrutura apresentava algumas patologias que embora não comprometessem a estabilidade da edificação, precisavam ser tratadas ou refeitas.
As fachadas eram revestidas por pastilhas cerâmicas multicoloridas, comuns na época para residências mas não para um prédio de grandes dimensões. As pastilhas estavam em bom estado, mas os demais componentes da construção não tinham condições de aproveitamento para nossa necessidade.
A fachada para Rua Ferreira de Castro, apresenta o térreo enterrado devido ao desnível das ruas. No primeiro piso, ficavam as docas de carga e descarga e o acesso social. Os andares superiores apresentavam caixilhos basculantes de ferro, distribuídos uniformemente entre os vãos dos pilares. A fachada oposta, na Rua Fuad Naufel, abrigava no térreo áreas de carga e descarga de bobinas de papel e acesso de operários. Os andares superiores tinham caixilharia mais desigual, pois abrigava sanitários e áreas técnicas da gráfica. A fachada para Rua Auro de Moura Andrade, menor que as fachadas longitudinais, tinha no térreo, área de acesso para caminhões e nos andares superiores, áreas técnicas e escritórios no último andar. Esta fachada se caracteriza pela torre cilíndrica junto a Rua Ferreira de Castro. Externamente o prédio estava com muitas pichações e a praça pública deteriorada, ocupada por sem teto.
Estudo Preliminar para as fachadas
BRIEFING PARA O PROJETO
Um Call Center para 4.000 posições de atendimento. Todos os demais dimensionamentos se dão em função deste número de posições.
O call center assim como um data center se caracteriza por ser um edifício de “missão crítica”, ou seja funciona 24 hs e não pode ficar fora do ar. Assim recebe todos sistemas e equipamentos fundamentais em duplicata (backup) gerando grande demanda de espaço.
A feliz escolha do edifício , entre outros pontos , se deu pelas dimensões do térreo com 5.400m², 1ºpavimento com 5.400 m² e tipos  com 5.080 m², que permitiu locar a infraestrutura e utilidades no térreo e posições de atendimento nos demais pisos. 
No térreo, além de toda a área técnica,  ainda tem um ambulatório, praça de alimentação e lanchonete, além de áreas de convívio.
A qualidade do espaço, conforto para os usuários foi uma premissa prioritária para nosso cliente.

Foto mostrando o contraste entre o levantamento, etapa anterior ao projeto e a fase final da obra, antes do edifício ser ocupado.

Praça de Alimentação, Lanchonete e Áreas de Convivência no Pavimento Térreo
O RETROFIT DA FACHADA
Fotos de Alexandre Kroner
Na fachada, estudamos três opções de materiais: alumínio composto, cerâmica ventilada e pintura. Após análise e verificando a relação custo/benefício , optamos pela alumínio composto. É um material de uso testado e aprovado em inúmeras obras,  com boa opções de cor e brilho. Uma das nossas preocupações era a vizinhança com o Memorial da América Latina , um ícone da cidade. Apesar de querermos salientar nossa localização, não poderíamos interferir visualmente com o Memorial, e isto não ocorreu.
​​​​​​​Desde o início era claro que a Rua Ferreira de Castro pela sua extensão deveria ter uma fachada, que embora repetitiva, tivesse em sua modulação uma volumetria variada que quebrasse o efeito de continuidade. Adotamos revestir os pilares existentes com ACM, em uma só cor prata. Criamos pilares falsos que enquadra a nova caixilharia e variando a cor do ACM para grafite, ajudou a quebrar o ritmo de continuidade. A platibanda é uma grande faixa horizontal em grafite que arremata os pilares. No nível térreo, adotamos cerâmica anti-pichação cinza e logo acima a faixa de sinalização institucional do cliente. Um ponto a se ressaltar, foi a criação de iluminação em todo comprimento da fachada, tornando a rua mais iluminada e segura. A calçada foi trocada e recebeu canteiros de plantas.
Os grandes volumes das caixas de elevadores e escadas receberam revestimento na cor branca, criando uma palheta de branco, prata e grafite, muito harmônica. Ponto de grande importância é a existência de árvores de porte em quase toda a extensão desta fachada. As árvores ocultam parte da fachada, mas ao mesmo tempo integram o edifício a praça que fica junto ao acesso, criando um efeito inesperado para os usuários logo na entrada do prédio.
A fachada da Av. Auro de Moura Andrade é marcada pelas horizontais em ACM e vidro, arrematada no seu lado direito por uma vertical e no lado esquerdo pela torre cilíndrica, que recebeu ACM prata e iluminação. A torre rompe a altura do prédio, marcando a chegada ao edifício.

Arq. Renato Siqueira
Equipe Técnica:
Triplo R Arquitetura (Concepção, Interiores e Gerenciamento de Projetos):
Renato Siqueira
Frederico Marques
Fernanda Berlfein
Walmir Cunha
Alfredo Ferreira
Liliane Teixeira
Kröner arquitetos (Desenvolvimento de Projeto):
Karin Kröner
Alexandre Kröner
Anderson Zanutto
Viviana Butignoli
Danielle Diniz
Alinne Barros
Back to Top